Carros elétricos …um mundo mais limpo e pacífico

A recente comunicação feita pela Volkswagen, a maior produtora mundial de veículos, que vai dar prioridade à produção de automóveis de integral propulsão elétrica, vai provocar a generalização de viaturas elétricas à escala mundial.

Profunda revolução a que não foi alheia a contribuição o primeiro carro elétrico, da marca Tesla, “acessível” ao grande publico criado por Elon Musk.

O acontecimento transcende o âmbito da indústria automóvel e tem profundas implicações para o mundo em que vivemos.

A decisão de descontinuar a produção dos carros movidos a motores de explosão vai ter impacto tão importante como a invenção da imprensa ou da máquina a vapor, duas vertentes que mudaram conhecimento humano e originariam a revolução industrial do século XVIII.

O mais evidente benefício do desaparecimento dos carros movidos a motores de combustão será a vitória na luta contra a poluição nos grandes centros urbanos, com a diminuição das emissões de monóxido de carbono e dos efeitos negativos nos problemas respiratórios.

A nível global contribui para um planeta mais limpo,para redução do efeito de estufa, que não permitia a circulação dos raios solares, causa primária do aquecimento da Terra e a recuperação do equilíbrio dos ecossistemas, evitando as mudanças repentinas das estações do ano.

Além dos efeitos ecológico da melhoria da qualidade de vida e do meio ambiente, a mais marcante consequência do abandono dos combistíveis fosseis, para utilizar energias renováveis, é o advento de uma nova geopolítica económica mundial.

A conversão irá afetar radicalmente a economia dos países produtores e o futuro das companhias de distribuição e comercialização de combustíveis fosseis, que atualmente controlam 75% do consumo mundial de energia.

É um mundo que deixa para trás as economias baseadas na produção a granel de combustíveis fosseis, para dar primazia aos países com avanço tecnológico nas energias renováveis biocombustiveis, solares, eólicas, geotérmicas ou de desnível das marés.

Além de todos os benefícios, se pensarmos que grande parte das guerras são motivadas pelo domínio do petróleo, seria de augurar que as novas fontes de energia serão mais pacíficas de partilhar.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *