Caçadeira em casa

“O homem que matou a mulher com três tiros de caçadeira, na noite de sexta-feira, em Braga, foi detido “

 “Um homem matou na via pública, esta terça-feira, o atual companheiro da ex-mulher, em Lousada, com pelo menos dois tiros de caçadeira”

Dois episódios ocorridos nas últimas semanas que revelam uma realidade subjacente, que a opinião publica portuguesa continua a não conferir a importância que merece.

No primeiro sucedimento o marido fulminou com tiros de caçadeira a esposa que se recursara a preparar um jantar de aniversário para amigos.

No segundo, um marido desvairado abate o companheiro da ex esposa.

Dois exemplos de acesso fácil às armas para liquidar situações litigiosas.

O assunto foi recentemente alvo de detalhada reportagem no programa da RTP, Linha da Frente, que fez a perturbante revelação de que Portugal é dos países da União Europeia com mais armas de fogo nas mãos de civis.

As estatísticas expostas nesse apontamento televisivo, que não incluem o número de armamento ilegal, revelam que em Portugal para uma população de 10,3 milhões de habitantes há 2,5 milhões e meio de armas registadas legalmente, o que equivale uma arma por cada quatro habitantes.

Os volumes de armas nas mãos dos portugueses é superior aos Estados Unidos, com uma população 400 milhões de habitantes, onde existem 1 milhão de armas registadas.

O elevado número de armas de fogo justificam-se pelo facto de em Portugal não existir limite de posse armamento, desde de que se cumpra as regras para a sua guarda, podendo haver até que tenha 120 armas em casa.

Das armas que os portugueses têm em casa, 85% são caçadeiras e apenas 5 % de pistolas e revólveres de pequeno calibre para defesa pessoal.

Segundo o relatório da Policia Judiciária morrem em Portugal por semana uma média  2 pessoas vítimas de armas de fogo.

O papel que as armas de fogo desempenharam na violência contra mulheres, quer em casa, quer em espaços públicos, revela que só o ano passado, no contexto de relações intima ou familiares, até de Novembro de 2018 foram assassinadas em Portugal 24 mulheres.

Nestas ocorrências de violência doméstica foram utilizadas 66 armas de fogo das quais as mais utilizadas foram a caçadeira (26.5%.).

O “lobby “dos caçadores lúdicos e cinegéticos tem sido suficientemente poderoso para fazer esquecer que há uma caçadeira em casa, uma arma de uso militar com mais potente capacidade de extermínio do que uma simples pistola de baixo calibre, como as que são autorizadas em Portugal.

Uma realidade com que os portugueses continuam viver todos os dias, enquanto vociferam contra o que sucede no estrangeiro.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *